segunda-feira, 5 de fevereiro de 2007

Estrelas

É estranho ter que mentir para os olhos para evitar transformações dentro do coração. É estranho se acostumar com uma idéia que é puramente abstrata e alimentá-la com o que há de mais concreto. É estranho tentar evitar seu maior desejo.
-

Eu já não sou mais tão dedicada à poesia como eu já fui um dia. Agora eu leio e escuto música. Muita música. Tantas e a mesma, ao mesmo tempo. Hoje eu fiquei pensando muito. E é estranho quando duas pessoas se evitam querendo, no fundo, não se evitar. Tem horas que eu realmente não tenho o que dizer e hoje é um dia que eu facilmente ficaria em silêncio.

Ahh, mas esse vazio me cansa. Este é diferente: não precisa ser provocado, não precisa de razões - simplesmente as têm. Não são lembranças, nem frases na memória, nem melodias nem cenas que atordoam, mas o simples desejo de que sobre algum resquício. As vezes, eu penso que não conheci nada. Outrora, acho que já foi o bastante. Suficiente ou não, o que sei é que preciso. Simplesmente preciso. Do que eu já nem sei.

Dá uma estranha sensação de liberdade, uma sensação de que tudo vai dar certo. Mas não passa de sensação. Ontem foi um dia ótimo. Com festa, bebida e amigos. Música ótima. Lugar perfeito. Enfim... mas é estranho ver uma 'presa' na sua frente e não ter vontade de atacá-la. Não chega a ser desmotivação, mas algo do tipo 'porque?'.

Meus objetivos não são os mesmos e, no fundo, gostaria que fossem. Gostaria de resgatar em um beijo toda a paz que me foi roubada. Gostaria que todas as linhas tortas formassem a mais bela composição. Mas logo eu, que já nem sei o que eu quero... Fica a saudade do meu 'eu simples'. Agora me chamo complexidade. Emoção, aventura, veneno.

Quisera eu contornar a primavera... mas não, ela sempre volta. Por mim os dias seriam todos cinzas e gelados. Por mim. Mas 'por nós' eu já nem sei. Existe isso? É estranho quando tudo é plural e nem sequer é mútuo. E eu amo o fato de isso aqui ser um código. Um código só meu. Acho que ninguém entenderia o que se passa e isso é realmente gostoso. Podem ser delírios e sonhos de uma pessoa apaixonada, ou frustrações de uma criatura ranzinza e leiga. Tanto faz.

E hoje seria um ótimo dia para caminhar ao vento e encontrar um vampiro. Ouvir suas histórias e depois entregar o sangue. Ou não. Mas hoje também seria um ótimo dia para novas idéias. Abrir a cabeça e deixar a vida te embalar. Só não sei se estão prontos para mim. Você amaria um alguém sem condições de amar? E se, no seu pulso, estivesse cravado um símbolo... e você não pudesse subestimá-lo?

Muitos preferem morrer. Eu prefiro entender. Isso também é morte.


Um comentário:

gui¬¬ disse...

garota legal do Orkut, eu não tenho nem sequer palavras pra dizer o quão... o quão...o quão...sem palavras eu fiquei :p

vc escreve muito bem, e pensa muito bem. É realmente muito chato vc (eu) viver num mundo complexo, cheio de códigos e charadas, e não poder dividir com ninguém. Pq as vezes parece tão tentador ser um dogma, e as vezes é tão melhor quando é tudo tão simples. Eu entendo bem o que vc passou no texto. Aliás, texto lindo e poético!! hahahahahaha

Por mim tb, os dias seriam gelados e cinzas. E melancólicos tb. Melancolia é algo sem explicação. E vc tb garota legal do Orkut, vc é muito louca e muito normal!!! hahahahaha

será q deu pra entender? Espero q sim...


Finalmente, só pra terminar, ADOREIIIII o texto!!! uhuuuuuuuuuuu muito bom!

e quero dizer q foi ótimo ter te encontrado numa tarde sem nada pra fazer, enquanto fuçava perfis alheios...pq parece q vc me entende melhor q eu mesmo.

abração!
garoto legal