terça-feira, 18 de setembro de 2007

Mais da mesma

um dia a menos para ler "os ratos". na verdade, eu estou tão no início e aos poucos estou sendo convencida de que meu tempo pode ser melhor gasto se empregado em outra coisa... eu consegui dormir uma tarde e hoje fiquei organizando umas mil folhas, da escola e do meu quarto. e achei muita coisa bacaninha. do tipo bem útil mesmo. trabalhos antigos de história são sempre úteis quando seu professor faz provas horríveis sobre matérias já estudadas. enfim. eu achei um montão daqueles bilhetinhos de aula, ingressos de cinema e festinhas, cartinhas de amizade tosquinhas e, enfim, milhões de rabiscos e declarações e nha. eu tenho uma big caixa, que não abro há um tempão para olhar, onde eu jogo todas essas tralhas. mega emocionada e apegada, pois sim. tá, não vou ficar detalhando minha caixa. na verdade eu achei tantas coisas que tenho até medo de olhá-las com atenção. eu sei que até queria falar alguma coisa em especial, mas agora eu não lembro. no fundo queria escrever alguma historinha ou coisa que o valha, ao invés de cair na mesmice da 'primeira pessoa' narrando sua rotina. e, sim, preciso mesmo atualizar umas fotos lá no quarto. e abrir espaço para entrar gente naquilo. hahaha. mas eu também não vou falar dele. nossa, achei aquelas fotos de turma bizarras. achei uma do ano passado, cuja turma na verdade eu nem lembrava. eu não falava muito com a anita. nessa foto, eu estou metida na última fileirinha, a alta, onde ficam os garotos. uma nanica do nada. na foto do primeiro ano eu também me meti, e saí com cara de esquilo e cabelão. eu não usava óculos ainda, e vestia laranja. na de 2006 eu estou do lado do shaolin, fazendo cara de 'ligue djá' - com direito a sorrisão colgate, maria chiquinha e mãozinha tosca. seria melhor eu postar as fotos, ao invés de descrever... mas a minha câmera está fora de uso. eu vi o documentário sobre o renato russo na sexta e ele me deixou bem pensativa. outro dia eu fiquei pensando umas coisas vagas. hahaha cara, existe muito gay no mundo. eles vão dominar o planeta. na verdade esse tópico mais homossexual foi motivo de discussão semana passada. foi uma acusação meio estranha, sobre as diferenças de mundo e as exclusões de ambas as partes: gays vivem num mundo gay, heteros vivem num mundo heterossexual. ainda que seja o mesmo lugar, ambos estão sempre tentando esquecer que os outros existem. isso é bem engraçado. na verdade, quando eu acordo pela amanhã, isso não deixa de ser uma das janelinhas que, hum, maximizam. tudo bem, eu queria estar dizendo algo com conteúdo. não necessariamente a lista de aprendizado do shakespeare, nem nada tão tocante quanto sei lá, aquelas coisas meigas que se mandam por e-mail. eu sei que ouvi muito esse sábado sobre "ser você mesmo", buscar sua identificação em alguma coisa e, assim, empenhar-se para não inventar nenhum estereótipo. simplesmente agir naturalmente. na verdade, eu tive umas conversas ultimamente que cutucaram mais ainda minhas janelinhas pendentes. preocupations. é bom sim fechar os olhos, deixar o vento bagunçar o cabelo e esquecer de tudo. de repente eu preciso disso. ou, de repente, eu adoraria uns dardos. se a gente pudesse fazer rascunhos antes de agir... e como existe gente podre! na boa, podre mesmo. não dá nem pra dizer coisas do tipo "gente podre não merece ser feliz" porque, enfim, não é necessário. não digo isso no sentido de que todo o bem será recompensado, mas porque pessoas podres têm vidas podres. é bem nojento da minha parte, mas é ótimo olhar para alguém bem desprezível e pensar "será que ele é feliz?", com uma certeza na ponta da língua. de fato, isso pode fazer de mim uma pessoa bem podre. mas eu sei que eu não sou podre ("ótimo" argumento, mas enfim). o mais engraçado é quando as pessoas fazem as coisas por ser algo admirável. não sentem o espírito da coisa, nem se atrevem a refletir sobre. vão direto seguindo a falsa razão... seguindo o bonitinho que é a moral da história. sempre dizem que ser legal é o melhor, mas não avisam que não vão ser legais com você, nem que isso exige bem mais do que boa vontade. e, se tem uma coisa que eu odeio, é dor de cotovelo dos outros. não, eu não me expressei bem. quero dizer pessoas que não tem o que fazer e insistem num acontecimento triste para terem o que fazer. se melancolia gera inspiração, para escrever ou o diabo, vai encontrar isso nas coisas cotidianas, não só no passado melequento que não deu certo. todo mundo teve um ou mais relacionamentos que não deram certo, amor platônico que seja. ou não, nunca 'pegou' ninguém, nunca sentiu nada e se sente um peixe fora d'água. mas eu acho um saco a mesmície. tudo bem você ser um chato, mas faça chatices novas. é como ser engraçado e insistir na mesma piada... chega um dia que a graça acaba. sei lá porque eu estou falando isso agora. deve ser porque existe um outdoor com propaganda bem enganosa por aí. sabe, sentimentos e relacionamentos são coisas extremamente individuais (hum. eu quis dizer 'a dois', mas eu não sei o termo agora). você vai lá, tenta, não dá certo e estaciona num ponto, com umas idéias cabulosas - que passam a ser divulgadas para chamar a atenção para si? não né. a primeira vez que chegaram pra mim e me chamaram de puta ou coisa parecida eu era bv. me confundiram com a namorada dum cara - que na verdade não era namorada dele, afinal nenhum dos dois tinha namorada(o) e se conheciam há pouco. e, enfim, a ocasião permitia qualquer coisa. é o tipo da situação bizarra, que você contorna com uma cara de 'ahn'. ... vontade de apagar tudo e digitar um texto cinzento. mas, pensando bem, coisas aleatórias e sem sentido são bem mais sinceras do que um bando de idéias organizadas para serem entendidas.
~ e eu odeio como o texto fica todo bugado e sem parágrafo quando eu vou colocar a figura final.

Um comentário:

Gui ¬¬ disse...

Mas sabe, acho muito tri isso de escrever na primeira pessoa, parece que a gente vê tds os detalhes como ese estivéssemos lá *.*

hahahahaha podre podre podre! eu tb não sou podre! e como tem gente podre, é mesmo!
usahaushuashuashausha

mas mas...o mundo já é dominado pelos Emos! agora serão pelos gays, e quiçá o universo inteiro será uma estrela emo e rosa! huahuahuahuahua
As vezes eu tenho a impressão que não é só a sexualidade que divide mundos, mas cada pessoa tem seu mundinho onde se permite ser "vc mesmo". E ai, no mundo-conjunto, vira-se um personagem bonitinho e sem sal. Sei lá, viajei agora XD

¬¬' odeio qdo o texto sai td desfigurado tbm. IECKS

=**