quarta-feira, 12 de setembro de 2007

"Quanto tempo!"

Repentinamente, morri de medo de dizer "para sempre" de novo. Meu "melhor amigo" costumava ser outro, eu não freqüentava os mesmos lugares de hoje, tampouco convivia com as mesmas pessoas. Sabe que eu fui olhar uma foto e isso estragou meu dia. Ok, não estragou... mas, nossa, que medo. A Suzana ficou enchendo o saco com a história da festa da formatura, afinal "é algo para se comemorar". Ela perguntou o que eu carregaria como lembranças da comemoração e eu disse que, se o que aconteceu foi bom, as próprias lembranças da coisa seriam suficientes, não se precisava criar uma festa com o pretexto de lembrá-la depois como a mágica de tudo. Porque raios eu deveria comemorar mais um ano de vida com milhões de pessoas e comida? "Para ter uma lembrança desse dia"? Oras, quero ver aquele filme de novo... haha (o clássico 'O Brilho Eterno De Uma Mente Sem Lembranças). Eu percebi que tenho escutado música demais. No sentido de perder considerável parte das coisas que eu gosto escondida atrás dos fones de ouvido. Digamos que eles te transportam para fora da realidade e, por hoje, tentei ser um pouco mais normal. Não deu muito certo. Cara, que merda. Ela concluiu que eu não funciono em "triângulos" e, de fato, não me sinto confortável quando estou entre duas pessoas que se conhecem e conhecem a mim. Talvez seja só por hoje, afinal isso está generalizado - não é sempre assim. O que acontece é que é impossível deixar de ser desconfiada quando as coisas se tornam previsíveis. "Está vendo aquela garota? Ela vai tomar o seu lugar. Pacificamente, mas vai." Sem ser algo exatamente triste, sem brigas, sem choro, sem drama. Você se afasta e alguém se aproxima. É assim em todo lugar. Você é despedido de uma empresa para uma pessoa diferente se posicionar no seu antigo emprego. Não vamos falar de qualificação... cada pessoa tem sua malinha de características - e isso não importa agora. O pior de tudo é que a maioria das coisas é inevitável ou, enfim, acontecem com o consentimento de ambas as partes e... enfim, a vida toma o seu rumo. Ninguém ganha um diploma por lidar bem com isso. Assuste-se quando você receber notícias do seu velho amigo através de um terceiro, que você viu ontem na papelaria. "Eles voltaram, depois de toda aquela briga. Até que enfim, né?" Briga?! Será que mandarão notícias minhas? Bem, meu endereço vai continuar o mesmo por bastante tempo.

Ps: Não foi essa a foto. ^^

2 comentários:

Gui ¬¬ disse...

Que droga essa coisa de "cada um toma seu rumo", mas isso é bem verdade. E pensar que ano que vem eu provavelmente não irei ver as mesmas pessoas com as quais eu formei uma amizade reconfortante é triste...é claro que não se pode generalizar, mas na maioria das vezes é isso. Se por um lado eu vou conhecer pessoas novas, por outro eu vou deixar de conviver (ainda que menos) com pessoas ricas de emoçoes que me ensinaram coisas pra caramba. Isso não é legal. Sei lá, me dá uma sensação de perda, de melancolia as vezes...
Muitas vezes eu já disse frases do tipo: "Seremos amigos pra sempre", ou, "Estarei aqui pra sempre", até entender que pra sempre é muito tempo. Mas isso não é só ruim. Tem um lado bom, do qual vc conhecerá pessoas que enriquecerão muito a sua vida, e passará ótimas horas com elas tb. É. Tenho que me acostumar :P

"Que tudo era pra sempre
Sem saber que o pra sempre
Sempre acaaaaaaba
Mas nada vai conseguir mudar
O que ficou
Qdo penso em alguem só penso em vc
E ai então estamos bem..."

Agora fiquei pensando nessa musica. E num monte de coisas. Pensei por exemplo que o Renato Russo foi um gênio. Que essa musica tem razão. Que no fim das contas, amizade é algo que não acaba, mas que se aprimora com o tempo e a convivência, e hiberna com a distância, mas que está sempre ali. Pensei que eu queria que o tempo parasse. Que ele corresse. Que eu voltasse 10 anos. Que eu estive 10 anos mais velho. Que as pessoas que passaram na minha vida nunca me esquecessem. E que eu nunca as esquecesse tambem. Que...mais nada.

no fim, acabei com um sentimento reconfortante dentro de mim. Não é pesar, não é melancolia, nem sei o que é. Mas parece que algumas amizades ficam na lembramça, e isso basta.

=***

Gui ¬¬ disse...

P.S.: viu o especial do Renato Russo sexta feira ("Por toda a minha vida")? ´O.O` Noooooooossa muito tri

XDDD