terça-feira, 28 de outubro de 2008

Colornight

Eu fecho os olhos e vejo manchas coloridas. E elas se juntam, se misturam e se separam de forma tão aleatória que é como se eu sentisse cada um dos meus olhos se voltar para um eixo independente do outro, como se eu fosse uma iguana ou um desses bichos verdes. E, se eu eu penso nessa coisa de que não faz sentido ou não existe possibilidade de ser real o movimento, as cores todas desaparecem e fica um preto borrado tão amargo que se torna inevitável levantar as pálpebras. É como se a razão interferisse diretamente na magia da coisa. E toda a situação é uma coisa tão particular, mas tão particular... eu adoro brincar com isso, mas acredito que passe despercebido para grande parte das pessoas. Como quando a gente fecha os olhos ao deitar num lugar descampado, num dia de sol forte. A luz praticamente cega, então os olhos se fecham e dão lugar para um laranja com bolas amarelas maravilhoso. Ou não, fica meio vermelho - e os olhos ardem e pedem pelo azul. O azul de sempre, confortável, macio, brincalhão... que se converte em roxo e verde, às vezes em rosa... O azul de sempre, que surge mesmo no escuro. Aliás, os feixes azuis estão por toda parte. E eu acho isso uma coisa bizarra. Quer dizer, eu nunca sei o limite... até onde a física (ou outra disciplina) explica e até onde a coisa passa a ser fantasia, ou sobrenatural. Pelo menos o fenômeno dos círculos brincalhões, de cores variadas, acontece sempre... ao contrário do contorno luminoso de coisas vivas e mortas, que só aparece nas horas menos convenientes - ou, pelo menos, não quando se deseja. Tipo quando o assunto está muito bom e de repente você fica meio off da conversa porque está concentrado nas mãos da pessoa, que de repente ficaram com uma linha colorida. Não é nada muito doente pensar nisso. Dá até pra comparar com aquele e-mail que circulava por aí, há uns milênios atrás... com uma imagem de jesus meio torta, em preto e branco. Daí, quando se piscava olhando para uma parede branca, se via a imagem bonitinha dele. Eu misturei os relatos, porque eu não acho que tenha tanta relação a coisa das luzes coloridas de quando fechamos os olhos e brincamos pelas superfícies com a coisa de ver linhas fixas, que seguem pessoas e enfim. Baby, tô com sono. Hoje a minha mão tá verde-amarelo-fusquinha.


ESSA COR É PROPOSITAL PARA INCOMODAR OS SEUS OLHOS E TE OBRIGAR A PISCAR MAIS.
(Mas eu sei que você sabe selecionar o texto com o mouse e acabar com o problema.)


que tri, essa imagem é muito parecida com a de baixo.

3 comentários:

Ivy disse...

eu gostei de como eu tentei me passar por tiraninha, toda malvada e inteligente no final. (y)

Ricardo Cavalera disse...

Selecoinar o texto com o mouse?
Err...ahn...quer dizer, claro que sim.

Ivy disse...

ai, que vergonha...