quarta-feira, 21 de novembro de 2007

"Tudo bem."

pelados somos todos iguais.
só pelados. e só nessa frase.

querem que a gente diga que é tudo bonito e engraçado porque está todo mundo acostumado a fingir que é assim que funciona mesmo. porque alguém um dia disse que assim era melhor e então começou a encenação. porque essa pessoa devia ser boa e de influência e porque a vida é vista como o lado bom e a morte como o lado ruim. porque ninguém sabe como é estar morto, então age como se estar vivo fosse o paraíso - sendo que você vive meigamente para ir para o paraíso na morte também. porque é mais fácil fingir não ver do que tentar mudar o quadro borrado. ou porque alguém disse que quadros borrados não vendem tão bem mesmo. (que povo mais capitalista...)


querem promover a união, sendo que ela só existe onde há plural. muitas minorias são feitas de singular. seria o plural das minorias? ou a singularização do plural? ok, só falei isso para brincar com as palavras... que sem graça.

só sei que não funciona.
política natalina de terceiro ano não rola.
porque no meu álbum as fotos são vazias. de gente e de emoção. e eu não acho que tenha que fazer muito mais do que isso e preencher tudo. as coisas só são boas se existem as ruins para servirem de experiência não repetitível.

quero poucos abraços, porque quero ir embora logo e comer algo gordo. porque eu gosto de comer e não gosto de pessoas. (também no sentido "pessoas") não espero realmente mais do qu
e desejo. vai ser bom me sentir uma mosca, entre as abelhas-rainha. não quero ter uma bunda listrada e amarela, não quero embuxar ninguém com mel e não pretendo me aglomerar nas árvores. vou só descer as escadas, sair e comer.

não tenho vontade de escrever o que me pediram, pois gosto de escrever coisas que eu gosto para dizer o que eu sinto. gastar tempo para fingir pertencer ao que eu não pertenço e posar de elegante não vai me tornar uma abelha, nem que eu quisesse. eu gosto de não pertencer. gosto porque fico livre para voar para onde eu quero, como as moscas são. elas são sujas e ninguém toca spray nelas. basta um gesto brusco e elas vão embora. e retornam. mas ninguém taca spray nelas.
tudo bem, isso parece desinteressante.

talvez se eu tivesse o cabelo azul minha vida parecesse mais poética. mas eu gosto de ter meu quarto de criança de seis anos e gosto de pensar que tenho cara de biscoito.
o que me deixa triste é pensar que quando a gente é espontânea algumas coisas mudam, algumas pessoas se afastam e fingem que está tudo bem.


Um comentário:

Gui ¬¬ disse...

as pessoas fingem que está td bem, mas o pior é saber que não está, e ainda pior é tentar mudar o que não está bem, e não conseguir. Apesar que a verdade é sempre melhor, mesmo não estando nada bem. E algumas vezes as pessoas dizem estar td bem com esperança de que assim as coisas fiquem realmente bem. Ou então, ignorar a real situação nos traga mais felicidade do que questioná-la. Pobre dos seres pensantes. Felizes os ignorantes que se contentam com tudo bem. Pq pra eles está td bem de verdade, não foi isso que disseram à ele? Ainda assim, prefiro saber que as coisas não estão bem do que ignorar. E tentar ser espontâneo com alguem que me diga qdo as coisas não estiverem bem


que viagem a minha ahsuahsuahsaushashas

Nhaaaaam =**