quinta-feira, 30 de julho de 2009

you found me

Eu acordei com um sonho ruim, mas acho que pior do que ele foi mesmo ter que acordar sem ter uma certeza de que ele estaria mesmo distante de se tornar real. Acho superengraçado quando eu estou tão brega a ponto de isso ser comentado. Vergonhazinha pelo penúltimo post. Cara, ando escutando muito The Fray e descobri que Little Joy é tri legal. Queria ver se termino de ver um filme hoje de noite, e termino mais umas últimas coisas da roupa das apresentações. Sexta vou ficar correndo pra lá e pra cá e todas as minhas atividades desse dia oferecerão apenas 50% de chance de serem boas [?]. Enfim, eu quis dizer que tudo será na base da supresinha. Mas acho que será ok. Não tô tão ansiosa pra sábado quanto eu estaria no ano passado, mas acho que isso é um bom sinal. Mais poder, mais responsabilidade... blablablá. Querendo ou não, acho que todos somos capazes. Mas aí já misturei as coisas. Tenho lido bastante os blogs dos outros, me identificado com alguns textos, enfim. Acho tão legal quando as pessoas escrevem e, de algum jeito, eu consigo enxergá-las nos textos (digo elas são sinceras e escrevem bem sobre si mesmas). Eu tô bem, tô toda embaralhada. Acho que algumas certezas que, de repente, eu mostrei aqui nos últimos tempos estão mais fracas. Me acostumei com as férias, não sei como será o recomeço: novo semestre, a velha rotina de um jeito diferente. Falei com pessoas com quem o diálogo foi praticamente inexistente nos últimos meses, e foi legal. Sei lá, algumas coisas não mudam. Existe o lado ruim disso, mas também existe a segurança. Eu gosto do sabor da nostalgia - ainda não sei conviver com a agonia de tudo, mas gosto do bege das memórias guardadas. Eu tenho pensado que realmente as pessoas (eu me incluo aí, of course) não têm noção do poder das palavras. Cada história que eu escuto, cada coisa que eu vejo acontecer... Não sei quando a melhor saída é o protesto, ou se bancar o indiferente sempre é o ideal. Existem situações cotidianas que se tornam um saco se a gente não se impõe desde o início... Enfim. De algum jeito muito esquisito, minha aparência de menor de idade tem sido questionada - isso é mais infeliz do que parece. Não que seja a pior coisa do mundo parecer ser mais novo do que é - na verdade, eu gosto -, mas, às vezes, se torna um saco. Existem pessoas que eu conheço que têm a péssima mania de classificar as dores - comparar o que cada um anda vivendo e dar um diagnóstico apontando o que é pior. Ah, ridículo. Ok, me deu uma coisa e senti vontade de parar.



Ok, eu andei vendo bastante o clipe de "She will be loved" (Maroon 5). Acho bem tetiante.

4 comentários:

Jão disse...

Ah cara. É aquela coisa. Se todo mundo tivesse certeza de tudo, a vida seria um saco...euhaiueuiaheuae

Também admiro muito o jeito que tu coloca as coisas.

Boa sorte com tuas apresentações. (Tá. Desculpe-me pelo clichê, mas eu tenho mania de bons agouros).

E, só para não deixar passar em branco, essa mania taxidermista de classificar é deveras ridícula. Concordo em grau, caso, gênero e número contigo.

Cláudia Linck disse...

Legal.. cheguei aqui por um seguidor de um seguidor de um seguidor.. enfim. Adorei e me identifiquei com tantas linhas.. um fluxo de pensamento tão corriqueiro! Ah, e quando vi que tu é de POA também, fiquei me pensando se não é esse cenário meio "bolha" que fez de algumas entrelinhas uns traços em comum.. bom. Voltarei!

(momento publicitária: to concorrendo no Top Blog.. tem o selo ali no meu blog pra votar em mim.. se tu achar válida a ação, ficarei muito grata!)

gui ¬¬ disse...

eu gosto tanto dessa forma aleatória e expontânea de colocar os sentimentos... parece tudo tão mais leve, sem aquele "peso". parece simples, e eu consigo sentir o cheiro, compreende? o cheiro de conforto dos teus pensamentos, quando vc está tranquila, apesar dos pesares. me lembra amaciante de roupas

acho que viajei, hahaha
e Ivy, essa foto no cabeçalho do blog ficou tããão legal *.*

gui ¬¬ disse...

eu gosto tanto dessa forma aleatória e expontânea de colocar os sentimentos... parece tudo tão mais leve, sem aquele "peso". parece simples, e eu consigo sentir o cheiro, compreende? o cheiro de conforto dos teus pensamentos, quando vc está tranquila, apesar dos pesares. me lembra amaciante de roupas

acho que viajei, hahaha
e Ivy, essa foto no cabeçalho do blog ficou tããão legal *.*