domingo, 4 de janeiro de 2009

ex

não sabia que roupa vestir. não gostaria de estar arrumada demais, com medo de ele pensar que o trabalho fora em prol de seus olhares; também não se contentaria em sair desleixada, dando oportunidade para ele observar seus defeitos ou como ela ficava apagada diante das outras. no fundo, tudo o que não queria era se importar com a opinião do ex-namorado. e não é que não o fizesse, ou que algum resquício de sentimento a aprisionasse naquela coisa de impressioná-lo - apenas não se sentiria a vontade na sua presença depois de tanto tempo. e não é que fora tanto tempo assim, fora o bastante para um sair da cabeça do outro e só. do coração também, mais tarde. a preocupação não se baseava num passado ou num futuro, não escondia um plano de afastá-lo da atual companheira, se é que tinha uma. nem procurara se informar. e pra quê? a veria lá, se fosse o caso. e ele a veria com outro, se fosse o caso. nesse ponto, era menos uma escolha a ser feita: a análise do ex sobre o 'atual' não lhe importaria, mas o fato de estar sozinha poderia representar um luto ainda não amadurecido. ou não, que neurose... e ficou a pensar mais algum tempo. quando chegou na festa, ele não estava. ela suspirou aliviada, mas não tirava os olhos dos convidados que chegavam. às vezes um encontro com um ex simboliza um encontro com um antigo eu.


não tô inspirada e não tenho muito tempo no pc. mas queria escrever. irii :D

Um comentário:

superior disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.